Blog

Consumo de ARLA 32 ganha fôlego, mas ainda fica 45% abaixo do necessário


Como resultado das ações mais incisivas dos órgãos de fiscalização, o déficit de consumo realizado pela AFEEVAS no comparativo com o Diesel S-10 apresentou queda de cerca de 10% em relação ao trimestre anterior.

A AFEEVAS (Associação dos Fabricantes de Equipamentos para Controle de Emissões Veiculares da América do Sul) realiza periodicamente um estudo para verificar os níveis de consumo do ARLA 32 no comparativo com o Diesel S-10 – combustível utilizado pelos caminhões novos que necessitam do agente para terem suas emissões reduzidas. De acordo com a análise do terceiro trimestre de 2017, houve uma redução de cerca de 10% no déficit de consumo do ARLA 32 em comparação com o Diesel S-10. Ou seja, atualmente 45% do mercado não utiliza o produto da maneira adequada.

Para combater essa situação, diversos órgãos e entidades do setor estão promovendo ações de fiscalização mais incisivas para punir motoristas, transportadoras e empresas que praticam o crime.

A associação faz um alerta aos motoristas e transportadoras que burlam o uso do produto, pois além dos danos ao meio ambiente e ao veículo, estão sujeitos às implicações legais como multas, prisões e apreensões aplicadas pelo IBAMA, PRF e PM. Além disso, a AFEEVAS recomenda que os motoristas verifiquem a procedência do ARLA 32 comprado e utilizem apenas marcas reconhecidas no mercado, pois a utilização de soluções caseiras ou de origem duvidosa podem causar um prejuízo de mais de R$ 20 mil para a troca do sistema de injeção de ARLA 32 e catalisador.

Fonte: AFEEVAS