Blog

Burlar o sistema de é prejuízo certo!


Rodolfo Cafer, inspetor técnico da Mahle Metal Leve, afirma que burlar o sistema de injeção de Arla causa prejuízos para os proprietários dos veículos. Segundo Cafer, “os sistemas são interligados e, quando o sensor entender que a queimaestá perfeita, irá liberar mais combustível que o motor deveria usar e isso leva, em um primeiro momento, a um consumo de 10% a 15% maior de diesel”.

Cafer faz também uma comparação no desempenho do motor. “No funcionamento inicial, existe um ganho de 3% a 5% de potência para um consumo muitas vezes superior a 20% do diesel necessário em condição normal. E em um segundo momento, há a redução da vida útil do motor. Por exemplo, um motor de 11 a 13 litros é produzido para superar 1 milhão de quilômetros, mas em todos os motores que atendi até hoje que sofreram modificações nenhum atingiu acima de 100 mil quilômetros. Portanto, um motor de R$ 80 mil completo rodou somente R$ 8 mil, os outros R$ 72 mil do motor ficaram na “economia da gambiarra”, enfatiza.

“Não acredito que, em 1 milhão de quilômetros, o usuário do veículo irá gastar R$ 72 mil de Arla para manter o motor na condição original de funcionamento. Imagine fazer um motor a cada 100 mil quilômetros e jogar mais de R$ 70 mil fora somente para não usar o produto que irá preservar o ambiente onde o próprio caminhoneiro vive”, relaciona.

 

foto_danos

 

Fonte: www.meiofiltrante.com.br